Aprenda de uma vez por todas a driblar a inadimplência de seus inquilinos

A inadimplência de inquilinos ainda é um fator que causa uma serie de preocupações para uma imobiliária. Ainda mais em tempos de crises, como os que o país enfrenta, essa questão torna-se ainda maior.

Driblar a inadimplência
Foto de Dziana Hasanbekava no Pexels

Isso porque, a inadimplência pode chegar a um ponto de níveis alarmantes. Com isso, quem atua nesse setor, busca por formas para reduzi-la e evitar tantas dores de cabeça.

Portanto, caso você queira saber algumas dicas úteis para evitar esse problema, basta continuar lendo esse conteúdo!

Como evitar a inadimplência de inquilinos

O Brasil passa por um cenário onde os níveis de desemprego atingiram um índice preocupante. Com isso, geram-se muitas incertezas diante da população que tem dificuldade em manter o controle sobre sua situação financeira.

Como resultado, o setor de imóveis também acaba no prejuízo, uma vez que a inadimplência de inquilinos se torna maior. A boa notícia é que nem tudo está perdido, pois é possível usar estratégias que ajudem a driblar esse tipo de problema.

Qual é a importância de uma boa gestão no setor de imóveis?

Ter uma boa gestão em sua imobiliária é o fator que irá determinar o seu sucesso nesse mercado competitivo. Isso significa que para assegurar que ficará lado a lado com os concorrentes, é preciso investir em um bom planejamento e estrutura organizada.

Além disso, também é preciso saber como adaptar-se às exigências de um novo tipo de consumidor que surgiu durante os últimos anos e avanços da tecnologia. Para esse perfil, é esperado um atendimento singular e personalizado.

Com essas questões em mente, é possível saber como driblar os problemas que podem surgir, como a inadimplência de inquilinos. Esse é um assunto bem delicado, afinal, ninguém deixa de pagar as contas porque quer.

Dessa forma, veja a seguir algumas dicas que irão ajudá-lo a contornar esse problema!

1. Para fugir da inadimplência: Analise o possível locatário

Antes de assinar o contrato de locação, é essencial fazer uma análise cautelosa do possível locatário. Isso porque, fazer uma análise cadastral completa do cliente reduz e muito os riscos de enfrentar eventuais problemas com a inadimplência de inquilinos.

O corretor, ao fazer uma análise de crédito, precisa ter como premissa as garantias locatícias. Para assim assegurar que receberá o aluguel por parte do inquilino de forma adequada. Lembramos que a InMediam Garantia Locatícia poderá te ajudar com isso!

Vale notar que, exceto o seguro finança que está mantido pela análise de crédito da seguradora, todos os outros meios de avaliação ficam em cargo do corretor. Por meio dessa análise é possível verificar a “predisposição à inadimplência”, como chamam os especialistas.

No entanto, para isso, não basta apenas identificar o RG e CPF do locatário, como também verificar os seguintes itens:

  • Histórico de crédito;
  • Antecedentes criminais; e
  • Análise de renda (também dos que possuem renda informal).

Com todos esses dados em mãos, é possível prevenir-se e driblar esse tipo de questão em um futuro.

2. Tenha uma boa relação com o cliente

Saber como construir uma boa relação com o cliente garante diversos benefícios para todos os negócios, sendo um deles o marketing espontâneo. Ou seja, quando o cliente está satisfeito com os seus serviços, ele acaba por fazer propaganda da sua empresa e indica para outras pessoas.

Manter essa relação pode assegurar que diante desses momentos de crise, ele tente manter a relação. Sendo assim, ele tentará encontrar maneiras para pagar o aluguel em dia ou tentar negociar, o que reduz os ricos de inadimplência para a empresa.

3. Faça um contrato adequado e dê adeus à inadimplência

Contrato de Locação
Foto de Andrea Piacquadio no Pexels

Não é incomum que muitas pessoas usem contratos de locação que encontram na internet. O grande porém é que, conforme a situação, eles não são os mais adequados para o tipo de negócio.

Aliás, elaborar um bom contrato é um dos passos para evitar sofrer com futuros problemas, como aluguel atrasado. Após concluir a fase de negociação, redija um contrato que seja coerente com tudo que foi acordado.

Lembre-se de incluir cláusulas sobre garantias de pagamentos dos aluguéis e do comprovante de renda. Por essa razão, muitos incluem nos contratos a exigência de um fiador ou caução.

Porém, só é possível optar por um desses modelos de garantia. Outra opção é optar por um seguro fiança ou título de capitalização que funciona como se fosse uma espécie de seguro contra a inadimplência de inquilinos.

Nesse seguro, a seguradora assume todas as dívidas e os ônus de cobrança do valor, até mesmo os judiciais. No título, a locadora poderá fazer reembolso do valor aportado.

A InMediam é uma empresa de garantia locatícia que pode ajudar nesse processo e ainda oferece uma serie de benefícios para a imobiliária, como a redução de inadimplência e aumento das taxas de conversão.

4. Use uma Régua de Cobrança

Essa é uma ferramenta bem útil que pode ser usada para prevenir os atrasos no aluguel como também para recuperar o crédito. De modo geral, trata-se de notificar o inquilino por e-mail, telefone e SMS.

É feito um cronograma com o caminho que o cliente irá percorrer antes e após o aluguel vencer. Assim é possível obter um maior controle sobre os pagamentos, por exemplo:

  • Enviar e-mail com boleto para pagar o aluguel 5 dias antes do vencimento;
  • Mensagem para avisar sobre o vencimento e o link para pagamento, 1 dia antes do vencimento;
  • Mensagem de alerta sobre o atraso, 3 dias após o vencimento; e
  • Entrar em contato por telefone para solicitar o pagamento 5 dias após vencer o boleto.

Essa ferramenta é eficiente pois, na maioria das vezes, o atraso no aluguel ocorre devido a falta de organização da pessoa. Desse modo, os alertas lembram o inquilino sobre o aluguel, para que assim a situação fique sob controle.

Outro benefício de usar uma régua de cobrança, além de ser prático, é evitar ter muita proximidade com o inquilino para poupar essa situação que pode ser constrangedora. Até porque todas as comunicações são feitas de modo automático.

5. Facilite o acesso aos boletos e fuja da inadimplência de inquilinos

Não há dúvidas de que os boletos facilitam a vida de todas as pessoas. Portanto, trabalhar com esse meio, na maioria dos casos, acaba por evitar o atraso no aluguel.

O trabalho torna-se ainda mais fácil e prático quando a empresa usa um sistema que gera de modo mais simples a segunda via. Outra vantagem de contar com esse tipo de cobrança é poder usar um sistema que permita enviar o boleto no e-mail do inquilino em uma data, de forma automática.

6. Valide os dados do locatário e de todos que moram no imóvel

Caso outras pessoas também morem no imóvel junto ao inquilino e sejam maiores de 18 anos que tenham uma renda, então deve-se obter os dados dessas pessoas. Assim terá mais de uma opção para que o corretor possa negociar o aluguel em atraso.

De modo geral, é um jeito que a imobiliária tem para recuperar o crédito. Tendo em vista que, no caso de atraso no aluguel, é possível negociar a dívida não só com o titular do contrato, mas com qualquer outro disposto.

7. Use o diagnóstico financeiro

O diagnóstico financeiro é bem eficiente que permite ter acesso ao panorama financeiro do negócio. De modo geral, essa ferramenta permite ter uma visão ampla de todas as receitas e despesas que ocorrem na empresa.

Sendo assim, é possível acessar o resumo onde constam os seguintes dados:

  • Contratos ativos;
  • Total de receitas;
  • Locações;
  • Evolução da carteira de clientes no último ano;
  • Entre várias outras funções.

Ou seja, essas métricas adotadas oferecem um controle maior sobre as entradas, saídas e até mesmo inadimplência dos inquilinos. Isso significa que será possível ter um controle das finanças melhor.

8. Considere o histórico do locatário

Como dito no início desse conteúdo, as pessoas não deixam de pagar as suas dívidas por querer, logo, é vital levar em conta o histórico do locatário. Se ele pagou sempre em dia, mas deve os últimos dois meses, então é possível que esteja com algum problema.

Analisar bem o Locatário
Foto de Cottonbro no Pexels

Diante dessa situação, o locador deverá falar sobre o atraso de aluguel com o locatário. Com um histórico positivo, basta conversar para negociar o pagamento do aluguel fora do dia de vencimento e pronto.

Por outro lado, driblar a inadimplência recorrente tende a ser um pouco mais difícil. O ideal é, ao observar os primeiros atrasos, entrar em contato com o cliente para reverter a situação o quanto antes.

Tenha um bom diálogo para que ambos possam encontrar uma solução para resolver esse problema e evitar que evolua. Embora seja um momento mais delicado, é possível encontrar opções que sejam viáveis para os dois lados.

Conclusão

Como você pôde ver nesse conteúdo, é possível reduzir ou até mesmo evitar a inadimplência de inquilinos com a ajuda de meios simples e práticos. Basta seguir todas as dicas, para assim evitar prejuízos e dores de cabeça na locação.

No entanto, se mesmo com essas dicas e conversa amigável não resolver o problema, o último recurso é entrar com um processo na Justiça, mas esse é um processo mais longo.

Por fim, o que você achou desse conteúdo? Foi útil para você? Ainda ficou com alguma dúvida? Então não esqueça de deixar o seu comentário!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.