Tendência do Mercado Imobiliário pós-pandemia! O que esperar?

Pela primeira vez desde fevereiro de 2020, o mercado imobiliário começa a registrar uma alta de lançamentos e vendas em 12 meses, mas como será esse cenário pós-pandemia? Essa é uma das dúvidas recorrentes entre quem atua na área e pessoas que desejam adquirir um imóvel.

Muitos ainda não sabem o que esperar desse setor em um momento de tantas incertezas. Caso você queira saber mais sobre o assunto e o que se esperar, basta continuar lendo esse conteúdo!

mercado imobiliário - imóveis digital

Mercado imobiliário pós-pandemia: como o setor irá ficar?

Não há dúvidas de que a pandemia da Covid-19 trouxe uma série de mudanças para diversos setores ao redor do mundo. O setor de imóveis não poderia ficar de fora, mas nesse caso, acelerou as tendências do mercado.

É certo de que a pandemia gerou para esse setor muitas incertezas, já que muitos perderam os seus empregos e, por esse motivo, não fizeram os investimentos que planejaram. Durante esse período, a economia brasileira entrou em recessão.

Muitas empresas fecharam as portas, bem como o aumento do número de desemprego no país. Indo na contramão de inúmeros negócios, o setor se imóveis ficou em um cenário positivo.

Antes do Coronavírus, a previsão para 2020 era que houvesse um aumento de 20%, em comparação ao ano anterior. Esse aumento teve uma diminuição, mas não foi 100% nulo.

Para 2021, as expectativas para esse setor ainda são animadoras, ainda mais com a chegada da vacina no país e a queda da taxa de juros para adquirir imóveis. Fato é que a inovação digital foi uma das maiores tendências nessa pandemia.

Já no setor de imóveis, a adoção de inovações digitais que trazia mudanças aos poucos, em 2020 foi acelerada para conseguir atender todas as demandas e seguir os protocolos de isolamento social.

As necessidades dos consumidores mudaram, graças ao maior tempo que eles passam em casa. Com isso, houve um aumento da busca por imóveis que atendam a todas elas.

Porém, isso não teria sido possível, caso as empresas não tivessem ficado atentas quanto às inovações e a opção de novos modos de vender e financiar os imóveis. Sendo assim, veja logo abaixo quais são as principais tendências do mercado imobiliário pós-pandemia.

Repensar espaços

A pandemia mudou a forma como as pessoas ocupam um espaço. Esse é um bom momento para repensar a estrutura dos imóveis, a divisão dos espaços, o mau uso deles e o resultado, tanto para a saúde quanto para o bem-estar.

Os espaços compactos que, antes estavam na moda no setor até um certo tempo atrás, irão dar lugar para mais espaço, conforto e áreas comuns bem pensadas. A tendência pós-pandemia no mercado são espaços que façam sentido para quem fica mais tempo dentro de casa.

Imóveis amplos

Após a pandemia, as pessoas estão em busca de imóveis com espaço mais amplo, como dito. Isso porque, depois de tanto tempo isolados dentro de casa, as pessoas começaram se importar mais com o espaço do imóvel, com áreas de lazer, espaço para home office, entre outros.

Espaço para home office no mercado imobiliário pós-pandemia

Muitas empresas tiveram que interromper suas operações no escritório e colocar as equipes para trabalhar de casa. Ou seja, os funcionários tiveram que se adaptar e usar as suas casas para morar e trabalhar no mesmo lugar.

Para os especialistas, muitas empresas irão apostar no modelo de trabalho híbrido, de acordo com o ramo, atividade e da posição de cada membro na empresa. Dessa forma, os escritórios podem até mesmo ter uma mudança de layout.

A previsão é que reduzam os espaços em metragem e convertam em espaços para confraternizar, atender clientes e apresentar report. Ao invés de ser um local para realizar, de fato, as tarefas do trabalho.

mercado imobiliário - imóveis digital
O home office é uma realidade da pandemia que deve continuar com funcionários mantendo o trabalho de forma híbrida. Foto: Pexels

Outro fator que também se deve levar em conta é que, no momento, os lançamentos de imóveis já estão vindo com espaços dedicados para o home office. Sendo assim, o projeto e o uso das áreas comuns têm sido cada vez mais comuns.

Em outras palavras, a nova necessidade das pessoas e uma das maiores tendências para o mercado imobiliário pós-pandemia é um ambiente que possa separar os setores da vida. Ou seja, imóveis com um espaço para escritório, além de uma bancada planejada perto da janela e prateleiras são os mais disputados.

Casas de campo

Outra grande novidade no momento é a busca por imóveis longe das cidades. Muitas pessoas desejam imóveis no interior para usar como segunda casa ou até mesmo como uma residência fixa.

Ainda mais para quem puder trabalhar longe da empresa, tendo em vista que irão trabalhar de forma remota.

Valorização da cozinha

Devido ao tempo que as pessoas ficaram dentro de casa, elas passaram mais tempo na cozinha para preparar suas próprias refeições. Logo, a tendência para o mercado de imóveis é um lugar que valorize mais as cozinhas, com espaços mais amplos e bem equipados para atender todas as necessidades.

Menos investimento em imóveis comerciais e valorização dos residenciais

Muitas empresas se aproveitaram da situação do home office para incluir melhorias em sua viabilidade financeira e desmobilizar os escritórios. Porém, ainda é um tanto quanto cedo para se ter um legado definitivo da pandemia ou estabelecer um padrão.

Mas, já é possível perceber que os escritórios têm ficado mais vazios em função disso e de um maior equilíbrio financeiro das empresas. Diante desse cenário, o que se espera que aconteça é obter um novo equilíbrio.

Em outras palavras, caso as empresas decidam manter o home office ou uma forma de trabalho híbrido, é possível que reduzam ou até mesmo abdiquem dos espaços em escritórios. Sendo assim, a tendência é a redução no valor dos aluguéis de imóveis comerciais.

Por outro lado, as locações residenciais ficarão mais estáveis, o que torna esse tipo de imóvel uma melhor chance para investir.

Imóveis como investimento seguro no mercado imobiliário pós-pandemia

No Brasil esse já é um modo de investimento muito comum em momentos de crise como a pandemia. Pois, torna-se uma ótima época para comprar imóveis, ainda mais com as taxas de juros mais baixas da história que permitem conseguir empréstimos ou financiar de modo mais fácil, assim a compra é mais vantajosa em relação ao aluguel.

Os bancos já notaram isso e, por esse motivo, já tem melhores condições para quem deseja comprar seu imóvel. Outro ponto que torna um investimento seguro é que o mercado de ações e fundos de investimento ainda cresce.

Sendo assim, ainda é arriscado investir, em principal porque a maioria das pessoas não têm educação financeira para fazer isso com mais segurança. Já os imóveis estão sempre em valorização e é muito difícil perder dinheiro ao adquirir um imóvel.

Variedade nas opções de crédito

Com a queda da taxa Selic, a tendência é que os juros de financiamento caiam junto. Além de cobrarem um valor menor pelo crédito imobiliário, teve também a transformação digital dos bancos, o que facilita a forma de pagar.

O mercado imobiliário pós-pandemia e os processos menos burocráticos

Até não muito tempo atrás, para adquirir um imóvel, seja para comprar ou alugar, era necessário aguardar horas em cartórios para assinar todos os documentos. Devido a pandemia e com o auxílio de novas plataformas, todos esses processos ficaram mais simples e virtuais.

Embora a assinatura digital fosse uma tendência que já surgia, com certeza ela consolidou-se após 2020. Pois, muitos cartórios foram obrigados a adaptar para seguir os protocolos de segurança e manter seus faturamentos.

Em certos estados, já é possível assinar os documentos de forma on-line, como:

  • São Paulo;
  • Rio de Janeiro;
  • Minas Gerais;
  • Bahia;
  • Rio Grande do Norte;
  • Santa Catarina;
  • Paraná;
  • Mato Grosso;
  • Tocantins.

Essa tendência veio para ficar, mesmo após a vacinação das pessoas, o que nos leva ao próximo tópico.

Todo o processo on-line

mercado imobiliário - imóveis digital
Imobiliárias e processos digitais também são uma tendência.

Está cada vez mais comum, no mercado de imóveis, vender um imóvel de forma remota. Por essa razão, as empresas dessa área devem manter-se a par para acompanhar essa tendência, já que os profissionais irão fazer uso cada vez mais de ferramentas virtuais para atrair clientes, mostrar os imóveis e até mesmo para fechar vendas.

Para o cliente, torna-se muito mais prático e fácil de comprar imóveis. Tendo em vista que essa tecnologia permite fechar negócios em várias cidades e até mesmo estados, pois não é preciso que o cliente esteja presente no local.

Buscar imóveis on-line já é possível e agora também é possível conhecê-lo através de visitas, com a ajuda de vídeos ou outros dispositivos de realidade aumentada. Além disso, outra tendência que a transformação digital proporciona, é assessorar os clientes por meio do WhatsApp, telefone, chat etc.

Portanto, desde a visita até a assinatura do contrato, nos dias atuais, é possível fazer de modo remoto. Com maior segurança, além de ser mais prático e fácil de fechar negócios no mercado imobiliário pós-pandemia.

Conclusão

Não é novidade que a pandemia causou drásticas mudanças para diversos setores e também para a vida de milhares de pessoas. Ao contrário da maioria dos segmentos, a área dos imóveis manteve-se estável e é possível afirmar que até mesmo beneficiou-se desse período.

Por fim, caso tenha gostado desse conteúdo ou ainda tenha alguma dúvida sobre o assunto, não esqueça de deixar o seu comentário e compartilhar com os amigos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.